Ela bagunçou tudo quando chegou. Mexeu com meus silêncios e minha vida em compassos lentos. Acorda ouvindo música, o forno sempre ligado e a máquina de café com aquele barulho áspero está em funcionamento diário. Toma banho com a porta aberta e anda de calcinha pela casa.

Bagunçou minha vida, colocou cor onde era branco. Ainda mantenho os dias cinzas para a introspecção, mas quando sento na varanda pra fumar enquanto vejo a cidade se movimentar lá embaixo, ela enlaça meu pescoço senta no meu colo e beija a minha boca com gosto de vinho tinto.

Quando vejo a cidade…


Eu sempre gostei de simetria. Retas. Uniformidade. Áreas lisas e sem atritos. Conformidade. Conforto. Imutabilidade. Aliás, isso pode soar estranho aos seus ouvidos, porque você já me viu de tantos jeitos e em várias decisões, que deve me achar equivocada agora, e eu sei que a gente muda constantemente. Tua racionalidade me dirá que quem eu fui ontem é diferente de quem sou hoje. Mas se a gente experimenta alguma coisa nova saímos do eixo. Nem que seja uma balançada e voltamos. A gente não cai, só sai do lugar.


Semana passada um casal de idosos, daqueles de cabelinhos totalmente branquinhos e de aparência frágil, me fez presenciar uma das cenas mais bonitas dos últimos tempos.

Eles conversavam sobre o que fazer no almoço de domingo. Eu prestava atenção deliberadamente, graças a Deus. Definido o que ele compraria, despediu-se. E ela o chamou de volta: “vai assim?” Ele: “vou”. Ela: “Vai assim mesmo?” então, ele parou, olhou para ela e voltou, tirou a máscara e a beijou. …


Eu, que nunca gostei de surpresas, espero todos os dias você tocar a campanhia da minha casa e dizer que veio porque não aguentava mais de saudades, que não esquece daquele beijo, que quer sentir de novo o abrigo do meu abraço.

Eu, que nunca gostei de surpresas, espero o dia todo por uma ligação dizendo um punhado de palavras bonitas que acalentam o coração mesmo sem qualquer obrigação de acontecer.

Eu, que nunca gostei de surpresas, já planejo descobrir o seu endereço e me entregar de presente e mostrar que a chave que trancava sentimentos foi perdida há tempos.

Eu, que nunca gostei de surpresas, adorei te encontrar pelo caminho.


Não queria nada extraordinário na vida. Um amor simples, acordar ao lado dela, sentir o perfume do seu corpo enquanto se vira na cama. Desfrutar de cafés da manhã de pé encostada na pia com hora contada para entrar no trabalho, mas sem jamais abrir mão de ficar na cama até mais tarde no domingo e tomar aquele café meio almoço esparramada pela sala de pijama.

Não tinha tantas ambições de felicidade, uma rotina comum bastava, porque, aos poucos descobriu que a vida é feita de coisas comuns, de momentos corriqueiros em que se arranca sorrisos fáceis, em que um…


O que Cabe?

O que manda?

Se pede, quem obedece?

Quem é o seu senhor?

_ Vontade.


Google images

Eu beijo os seus seios, passo a língua pelos contornos com uma lentidão que faz você perder a paciência, entre arquejos e sussurros você se agarra em meus cabelos e me puxa para a sua boca, fala baixinho para eu ir mais rápido, descer pelo seu corpo inteiro, mas eu sou teimosa, faço o que eu quero, desço somente ao botão intumescido e arrepiado e ali concentro minha atenção. Passo a língua, raspo os dentes, mordo, chupo. Em você, um misto de dor e prazer se misturam e se espalham pelo corpo como eletricidade que acende todas as suas luzes. lâmpadas. Corpo desperto.

E eu não paro.


Tem gente que não ama você. Ama a sua utilidade. Se você percebe isso e, ainda assim, aceita o convívio, então você compreende que a relação será passageira ou infeliz. Mas se a outra pessoa passa a demonstrar verdadeiro interesse no relacionamento e não nas coisas do relacionamento, daí ele tende a ser saudável e duradouro.


Tava aqui lembrando com uma amiga sobre hoje, 1 ano de terapia sem parar no meio do caminho, sem desistir antes de entender e consertar tantas coisas que eu precisava, Não foi um ano fácil, teve dia que não senti vontade de continuar. Foi doloroso, machucou, sangrou muito.

E às vezes penso que nunca haverá uma cura definitiva, mas então olho para as cicatrizes e em cada uma delas há uma história, uma resposta e a lembrança de não cair nos mesmos obstáculos. Pode não curar, mas não me deixa esquecer e isso é muito bom também. Por enquanto seguimos…


Acho que alguém trollou um cara dando-lhe meu número por engano (ou me trollaram), mas também pode ser que tenha havido um equívoco mesmo. Pode ser que ele tenha anotado o número errado, ou talvez ela estivesse com pressa, escreveu um algarismo parecido com o outro que caiu no meu celular e ele, então, perdeu o contato com Letícia.

Sugeri que ele tentasse novas combinações de números, até achar o de Letícia, ou talvez, se apaixone por alguma pessoa nessa linha cruzada e dê graças ao universo pela falha na comuniação.

Vai que dá certo?

Carolina Machado

Get the Medium app

A button that says 'Download on the App Store', and if clicked it will lead you to the iOS App store
A button that says 'Get it on, Google Play', and if clicked it will lead you to the Google Play store